08/03/2014


Estranho momento. Quando o que devia ser alívio, paz e tranquilidade revela-se angústia. Quando o que eu esqueci, deseja voltar a tona. Quando eu procuro e nada encontro. E a cabeça não para em nenhum segundo, vasculha todos cantos, que novamente se encontram vazios. Não gosto de perder a esperança, você sabe de toda a minha determinação. Porém hoje, cercada pela ausência que a cada dia se torna mais presente, procuro o que procurar. Experimentando ferozmente o desânimo dessa minha busca obscura e desiludida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário