10/12/20134

O corpo quer, a cabeça entende..

..a alma se rende.

02/12/2014

Sejamos sinceros, você não me conhece... Minhas manias, meus jeitos. Por vezes imagino que ninguém realmente conheça, imaginam e idealizam uma personalidade pra mim. Mas eu quero que a verdade seja dita! Sempre fui fiel aos meus sentimentos: independente do meu humor, que muda com muita frequência, eu vou estar com você quando eu realmente quiser estar, quando pensar em você me trazer a vontade de me transportar pro seu lado. Eu apenas vou te ligar quando eu quiser falar com você, não quando você ou alguém achar que é o momento, porque eu sempre fui muito teimosa e decidida e porque eu não passo vontade. E nem vou passar vontade de você, pode ter certeza. Não vou deixar você passar na minha vida assim.. Sem eu perceber. Muito menos deixarei que você escape dos meus pensamentos se eles pedirem por você. E se, impulsivamente eu te disser que não te quero, meu olhar vai me desmentir na tua frente.. Ele não mente e aí eu me entrego. Então, não perca seu tempo comigo se espera alguém muito fácil de se entender. Pois eu gosto de mistério também. De segredos, de frases subentendidas e feitas na hora. De respostas curtas e rápidas, mas que tornam os pensamentos demorados. Gosto do que mexe com a gente, entende? Gosto de inteligência e esperteza. Já que eu não sou apenas um corpo que você achou na noite.. Longe disso! Converse comigo e me mostre o que tens aí na cabeça. E eu não sou só uma boca que precisa ser beijada por outra qualquer. Não preciso de qualquer boca pra me sentir feliz e realizada. Eu não preciso do seu dinheiro e muito menos do seu carro. Mas, talvez, eu precise dos seus abraços fortes pra me esquentar. Se teu beijo for entregue, talvez ele me faça um tanto mais feliz.. O seu colo pra eu me deitar e o seu conselho quando meu lado menina ingênua não souber o que fazer do meu futuro. Quero conselhos sinceros. E não se preocupe, eu não vou te pedir nada e não vou te cobrar aquilo que você não pode me dar. Mas há uma coisa que eu exijo: quando estiver comigo, seja todo você, por inteiro. Corpo e alma. Às vezes, mais alma. Às vezes, mais corpo. Mas, por favor, não me apareça pela metade. Não me venha com falsas promessas. Eu não quero entrar no seu carro se não puder entrar na sua vida. Não me conte seu passado se eu não puder viver seu presente. Não me importo com o amanhã, se estaremos juntos no futuro, isso não pertence só a mim, pertence a nós e a mais uma porção de coisas. Só peço que não faça planos comigo se não me incluir de verdade nesse seu futuro. Por isso, não me apresente seus amigos se, amanhã, vou virar só mais uma. Deixe apenas entre nós, deixe apenas entre nós dois, eu e você. Insisto, se não quiseres ser sincero não perca seu tempo comigo. Não, eu não quero que você me trate como sua namorada depois de ter me beijado uma vez. Nem que faça tudo por mim.. Apenas quero sinceridade. Só isso. Me poupe do trabalho de adivinhar seus muitos pensamentos. Diga que me quer apenas quando for verdade. Diga que está com saudade apenas se sentir minha falta do seu lado. Peça minha companhia quando não desejar só meu corpo. Me ligue quando realmente quiser ouvir minha voz. Mas, por favor, me desligue quando não estiver mais afim de mim.

27/11/2014



Eu preciso aprender a ser menos. Menos dramática. Menos intensa. Alguém já desejou isso na vida: ser menos? Pois é. Estranho. Mas eu preciso. Nesse minuto, nesse segundo, por favor, me bloqueie o coração, me cale o pensamento, me dê uma droga forte para tranquilizar a alma. 
Porque eu preciso. E preciso muito. 
Eu preciso diminuir o ritmo. Abaixar o volume, andar na velocidade permitida, não atropelar quem chega, não tropeçar em mim mesma. Eu preciso respirar. Me aperte o pause, me deixe em stand by, eu não dou conta do meu coração que quer muito. Eu preciso desatar o nó. Eu preciso sentir menos, sonhar menos, amar menos, sofrer menos ainda.
Aonde está a placa de PARE bem no meio da minha frase?
Confesso: eu não consigo. Nada em mim pára, nada em mim é morno, nada é pouco, não existe sinal vermelho no meu caminho que se abre e me chama. E eu vou... Com o coração na mochila, o lápis borrado, o sorriso e a dúvida, a coragem e o medo, mas vou... Não digo: "estou indo", não digo: "daqui a pouco", nada tem hora a não ser agora. 
Existe aí algum remedinho para não-sentir? Existe alguma terapia, acupuntura, pedras, cores e aromas para me calar a alma e deixar mudo o pensamento?
Quer saber? Existe.
Existe e eu preciso.
Preciso e não quero.
E eu acho que não me importo se eu nunca te ver novamente, eu ficarei bem.
Já deixei tão pra trás, eu já fui e voltei!

02/11/2014

Uma porção de coisas pra dizer, dessas coisas assim que não se dizem costumeiramente, sabe, dessas coisas tão difíceis de serem ditas que geralmente ficam caladas, porque nunca se sabe nem como serão ditas, nem como serão ouvidas..

25/10/2014



Eu disse a uma amiga:
— A vida sempre superexigiu de mim.
Ela disse:
— Mas lembre-se de que você também superexige da vida.

21/10/2014


Eu sou assim, ligada na tomada. Sempre querendo encontrar uma razão pra tudo. Pessoas como eu sofrem mais. Se decepcionam mais. Por outro lado, crescemos. Evoluímos. Amadurecemos. Nada é estático em nossas vidas. Nada é à toa. Tudo ganha uma compreensão, tudo é degrau, tudo eleva.

04/10/2014

E você estava lá... Do jeito que eu nunca imaginei que estaria. Estava la com aquele abraço do tamanho do mundo, com aquela maneira de me tratar como se eu fosse tua rainha. E só tua.. E eu já havia imaginado tantas pessoas para ocupar seu lugar, mas aconteceu, sem pretensões, foi você quem estava lá.

17/09/2014

Esperar dói. Esquecer dói. Mas não saber que decisão tomar é o pior dos sofrimentos.


"Home is where the heart is" - dizem alguns. E eu concordo. Muito.

11/09/2014

Tenho sede. Sede de amores, de conversas jogadas fora, de risadas sem motivos. De escritos apaixonados. Minha alma pede por dias iluminados por algum indivíduo que surja em minha vida. Fico trêmula quando não há surpresas. Arde quando a paixão corre nas minhas veias. Gosto disso - das paixões - elas me movem, me impulsionam. Sempre quis tudo, e sempre quis no agora.. Frequente são os meus desejos, passa-se alguma extensa fração de tempo e eles persistem em corroer por dentro de mim. Sim, apenas espero pelo que tem por vir..

06/09/2014

Faz um calor imenso lá fora. Sim, o inverno começa a dizer adeus. Tudo que eu queria, não é mesmo? Não, não agora.Talvez uma xícara de café me deixasse um pouco menos angustiada – uma angustia que eu nem sei por quais motivos passeia por mim. Mas o dia me chama, as pessoas saem na rua, tratando de descongelar seus corações. E falando em descongelar os seus corações ainda não sei bem se o meu ainda bate. Mal o ouço. Ele que já não me pede mais nada, porque cansou de travar batalhas com minha mente. Ele dizia que queria, ela que não. Dividida entre o que eu sentia e o que eu devia fazer muitas vezes, não fiz nada, não decidi nada. E deixei estar. Foi assim que os dias passaram, assim que o inverno passou. E olhem bem, a partir de agora as flores irão brotar e as crianças sairão a brincar na rua. Depois fara um calor que ultrapassara qualquer calor dentro da gente, misturando tudo. Porém eu, o que farei? Não quero primaveras e verões comuns, iguais ao de sempre. Eu quero mudar. Eu quero ouvir meu coração pulsar e quero que ele jamais perca toda essa vivacidade – quero que ele pulse forte, viva, independente das estações.

04/09/2014




E ainda estou aqui pensando em você.. Abraço teu nome como quem abraça uma estrela. É algo distante, tão frio como teu último olhar. Ainda tenho nítidas na memória as melhores lembranças. Elas são como agulhas em uma ferida aberta. Transpassam a alma, deixando um gosto de qualquer coisa amarga na garganta. Pode ser saudade?

03/09/2014




Mas a verdade é que ainda não quero me prender a nada, a nenhum lugar, a ninguém.

Será?

11/08/2014


E tudo isso, por entremeio a tantos textos, tantas palavras.. É tanto e tão pouco! Cada vírgula marca um suspiro. É tudo e nada, é como encontrar para todas essas palavras um abrigo para se sonhar, para lembrar.. Lembrar da saudade que não dói, que cansou de corroer a alma. Só traz a tona, em um piscar de olhos as melhores lembranças e recordações. Foram marcantes os bons momentos, e não faz mal o devolver ao pensamento se ele é repleto de amor.. De muito amor! E amor não faz mal! Engana-se ao pensar que é sofrimento, não, ele não padece o coração.. Não mais! Por vezes o esmigalha e o tortura, mas abrande-se.. É só esperar que ele se recompõe. O tempo cura! Corrigi qualquer fragmento confuso, qualquer moléstia. Aqui, em cada palavra há um sentimento, talvez dois, três. Porque é escrito com coração. Cada frase um desejo, uma fatia de lembranças e planos futuros, unindo-se mais e mais. Cada desejo uma história, cada letra um batimento, traduzindo, não meus sentimentos, tantas vezes confusos.. Mas um pouquinho de mim, um "pouquinho bastante".

09/08/2014

Homens.

Eu realmente ando decepcionada com os homens. Sim, eu ainda amo eles irrevogavelmente. Meu pai, meus amigos (leia-se, meus anjos, em todos os sentidos). Mas os meninos andam mesmo me frustrando. Os da minha geração mais precisamente. Cada vez mais eu vejo que o que importa de verdade pra eles é se a menina tem bunda e peito. De bagagem vem um grupo enorme de menininhas de 11 a 14 anos que cada vez mais cedo e mais fielmente seguem esse padrão.
Nós não queremos o carinha que vai pra festa e pega geral. Nós não queremos o cara que pega na sua bunda e te chama de gostosa na frente dos amigos. O cara que bebe, fuma, e faz um monte de cagada só pra se fazer de fodinha na frente das menininhas. E no final das contas fica claro, que a escolha é nossa, e não deles.


Agora, pra frustrar, frustrar MESMO uma garota é fácil. É só você encontrar o cara que aparentemente foge da regra. Um cara que é inteligente, que sabe que existe um mundo fora o que ele vive de festinhas e um bando de pivete putinha.



Complicado...
É estranho olhar as estrelas e não poder toca-las. É triste ver a lua e não poder expressar o que sentimos. Usar palavras para expressar... Um sentimento é muita ousadia, sabendo-se que sentimento não se diz, se sente. Sabe-se que não é o coração que guarda os sentimentos mas sim a alma. Sábios são aqueles que apenas ouvem e não dão conselhos aos que não sabem ouvir. Verdadeiro será aquele que encontrar em meus olhos o que não se acha em minhas palavras.

03/08/2014

Fez frio. Um frio imenso.. Ao acordar senti medo de frio, medo de congelar o que tinha aqui por dentro e que andava meio cansado e por vezes meio gelado: meu coração. Fiquei preocupada com as coisas que me poderiam acontecer se ele não resolvesse voltar a ter pulso forte.. Sabe, ele anda tão fraquinho e um tanto desesperançoso. Mas não! Não me deixei ser pressionada pelos tantos pensamentos que me rodeavam. Coloquei um casaco, porventura o mais consistente que eu tinha. Era noite ainda e nem o sol surgira pra me deixar mais calma. Não deu, saí luta.. Já me é tão comum, tão rotineiro. Encolhi-me e a passos rápidos fui ao meu destino, com os braços protegi pra que ele não esfriasse mais. É, essa minha mania de proteger tanto..

31/07/2014

Daqui a pouco, meu coração será de outro, assim eu espero, e meus textos de amor eu voltarei a escrever. Mas não para ti, jamais para ti, nunca mais para ti... Você será apenas uma lembrança, feito tantas outras, e eu serei apenas uma lembrança para você... Feito tantas outras.

26/07/2014

Eu quis desvendar qualquer mistério que se fazia em minha volta. 
Quis abrir qualquer pacote de presente que aparecesse em meu caminho, não importando seu tamanho, sua beleza exterior ou qualquer coisa que fosse.
Quando achava algo estranho, amedrontador, porém intrigante, não perdia a chance de ir a fundo. 
Eu literalmente quis e fiz. 
Sempre quero muito e por vezes não penso no depois. 
Vivi intensamente abrindo e descobrindo tudo que parou na minha frente. 
Também agarrei o que quis passar rápido e meio de fininho por mim. 
Concluo, assim, que nada posso reclamar: viver intensamente também tem seu preço e a vida cobra caro de quem a leva assim.

21/07/2014

Só você.

E é só você que tem a cura, pro meu vício, de insistir nessa saudade que eu sinto. De tudo que eu ainda não vi.

19/07/2014

Você não vê como me afeta?

A maré está alta mas eu estou aguentando firme...

13/07/2014

Gosto de gente inteira. Migalhas? Pedaços? Não, obrigada. Não gosto de nada que seja metade, não gosto do morno. Gosto do que me tira o fôlego e almejo o quase impossível. Tenho um ritmo que me complica. Uma vontade que não passa. Uma palavra que nunca dorme. Quer um bom desafio? Experimente me entender. Se não me entender, também, tudo bem. Não precisa gostar de mim se não quiser, as vezes nem eu gosto. Também não ligo se gostar de mim apenas em partes. Mas desejo que me aceite por inteira. Sou bem mandona. Sou complexa, sou mistura, sou mulher com cara de menina... E vice-versa. Me perco, me procuro e me acho. E quando necessário, enlouqueço e deixo rolar! Sou boba, mas não sou burra. Ingênua, mas não santa. Sou pessoa de riso fácil...e choro também! Choro toda vez que me sinto magoada, e pra mim isso não é fraqueza, é transparência. Faço o que quero, o que algo dentro de mim me fala que é certo. Gosto de pensar assim: se a gente faz o que manda o coração, lá na frente, tudo se explica. Por isso, faço a minha sorte e sou fiel ao que sinto. Não nego vontades e não insisto em tê-las. Me recuso a fingir e a falar quando não é preciso. Às vezes não demonstro, às vezes me tranco – mas no final me entrego. Não acho graça em quem não acha graça e acho chato quem não se contradiz. Não sou do tipo de que come na mão de quem brinca com meus sentimentos. Sou do tipo que corta logo o mal pela raiz.. E as vezes é difícil fazer isso, mas muitas das vezes é preciso. Às vezes desejo mal, sou humana e sou quase normal. Não gosto de coisas fáceis, mas as muito difíceis me deixam com preguiça. Não me prendo em beleza e nem em riqueza, não me prendo em status e nem em regras, sou fiel as minhas vontades e os meus princípios. Não gosto de gente que atua. Gosto de quem tem o coração maior que a cabeça, mas sabe pensar. Nunca fui como todos, nunca tive muitos amigos e nunca fui a favorita. Sempre fui a menina impaciente, nervosinha, meio arrogante. Meio com cara de metida. Mas no fundo sou bem diferente. Mudo de humor conforme a lua. Me irrito fácil e me desinteresso à toa. Tenho o desassossego dentro da bolsa. Não sei sentir em doses homeopáticas nem sou boa com frases feitas. Mas no fim, não sou o que falo de mim. Nem o que falam. Eu sou aquilo que eu sou por dentro. Sempre fui daquelas que falam o que pensam sem "papas na língua". Sempre fui daquelas que vão embora sem olhar pra trás. Sempre dei a cara à tapa. E não me arrependo, fiz o que quis, como quis e pra mim foi proveitoso, nem que seja por uma pequena fração de tempo. Não importa onde vamos, como vamos, eu gosto que confiem em mim. Nada em mim para, nada é pouco, não existe sinal vermelho no meu caminho que se abre e me chama. E na verdade eu quero tudo, ou quero nada. Por favor, nada de pouco quando o mundo é meu. Tudo com o que eu me importo, me importa muito. Me suga, me leva, me atrai, me consome. Toda. Por inteiro. Me diga tudo, ou então não me diga nada. Eu não quero promessas. Promessas criam expectativas e expectativas borram maquiagens e comprimem estômagos. Quero que se alguém estiver comigo, que esteja. Mesmo que seja só naquele momento. Mesmo que mude de idéia no dia seguinte..

10/07/2014



Eu juro que não. Eu nego. Com a boca, digo não. Hoje, não. Negativo. Agora não. Em hipótese alguma. Não dá mais. Não pode ser. Tá bom assim. Não. Nem pensar. Não posso, nada sério. Não, eu disse. Porque não. Não, não e não. É perigoso, não. Repassando - não. Não, mas obrigado. Quando digo não é não. Sem envolvimento, não. Pela última vez: não. 

Aí eu encosto a cabeça, me vem na mente e...Ah, não..

19/06/2014


Achei melhor ficar quieta. Falar não adiantaria nada. As vezes as palavras só atrapalham, são mal colocadas em frases mal formuladas.. E aí já viu. Evitei qualquer contato em que a minha razão deixasse lugar para o coração, porque sei que ele anda ansiosamente querendo sentir muito e viver além de tudo. E assim ele mandaria as palavras demonstrarem o que se esconde em um lugar bem ao fundo, um lugar que é só meu e que não quero dividir com ninguém. Deixa ali.. Algumas coisas são melhores quando se mostram subentendidas. As vezes tão ambíguas que a risada sai sozinha.. E geralmente gera medo, porque soam irônicas e sarcásticas.Vem de mansinho, e quando vê já foi dito tudo. Tudo que o coração queria dizer e não podia. Não podia porque eu gosto de mistério e de frases tímidas. Gosto daquelas conversas que nos fazem pensar e pensar e pensar depois. Gosto daquilo que fica martelando na cabeça. Porque isso marca, e eu gosto do que deixa suas pegadas. Porém o problema de tudo isso é que a impulsividade toma conta. E nos faz um bem quando o sentimento precisa ser dito, e esta engasgado.. No finalzinho da garganta. Ai libera a palavra, deixa o coração falar.. Nem pensa, nem analisa, nem nada: deixa fluir..

17/06/2014



Depois de muitos momentos difíceis e ruins, uma coisa sempre é certa: Tudo passa e tudo vai dar certo!

12/06/2014

Quanto mais digo não,

mais me prendo a você.
Ta foda.

10/06/2014

Existe um mundo que ninguém pode compreender – ninguém além de mim. Outra pessoa só poderá ter alguma noção do que se passa nele com minha autorização. Talvez, se este mundo fosse aberto, todos meus problemas estariam resolvidos. É fácil para as pessoas me julgarem. Difícil é elas me compreenderem. Elas não sabem o que se passa na minha vida, elas apenas imaginam. E então as pessoas se sentem no direito de dizer à mim o que fazer, quando elas nem ao menos sabem o que se passa nesse mundo – esse mundo que é só meu. Os meus segredos, medos, dores, crenças, esperanças, amores... Tudo isso pertence a mim. Mas toda vez que alguém me manda fazer algo, corrói por dentro. Porque aquela pessoa não sabe o que está falando. E eu me encontro no trânsito de chorar ou rir: chorar – porque dói o que a pessoa induz – sorrir – porque é engraçado que esta pessoa pense ser esperta o bastante e esteja sendo idiota.

Então, aí eu quero fugir. E o melhor conselho é ficar calada. Nada do que eu falar vai resolver as coisas. Meus sonhos, amores, minha realidade pertencem a mim. Meus sonhos por mais que sejam longes, distantes, quase inalcançáveis.. Não são impossíveis. Amores: perdidos, tristes, sem luz. Eles me deixaram assim. Mentiram, magoaram, foi quase insuportável. E eu estou aqui, viva, talvez querendo ainda amá-los. Então peço a Deus, para me dar forças. E quando todos os meus medos, dores e fracassos, forem vencidos com minhas conquistas dos sonhos e objetivos, conquistarei a minha liberdade. Ah, a minha liberdade..

26/05/2014

Não que eu seja bipolar – ou talvez seja por vezes. Mas, sem dúvida alguma eu sou várias em uma só. E eu posso ser o que me convém em determinado momento. Eu escolho o meu temperamento da mesma forma que escolho minhas roupas. Tenho mais de um lado. Mais de uma mania. Mais de uma qualidade. Em todo o meu lado sombrio e escuro, existe uma luz. Existe o branco, existe o claro. E existe o colorido também... As vezes ando tão desencanada que ele surge à tona. Mas não é sempre, porém faça me rir e verás o resultado. Há também muita bondade em mim, muita paz e muita solidariedade, mas não experimente pisar em mim que verás algo muito ruim, algo que geralmente eu evito ver. E não podemos esquecer: eu sou humana. Eu erro, eu caio. Eu sou feita de ódio e de fúria.. Mas também sou feita de amor, de carinho. Sou calma e explosiva. Depende da maneira que você falar comigo, depende da maneira que eu ver o céu. As vezes eu gosto da chuva e noutras prefiro o sol. Adoro a companhia das estrelas, mas os pingos de chuva me acalmam de uma maneira... E é assim que eu me equilíbrio, sendo mais de uma, não por falta de personalidade, mas por saber o que é mais conveniente pra mim. Sou mais de uma e isso me faz completa. Você pode escolher qual parte de mim você deseja, mas não esqueça – tenho muito pra oferecer, mas não, jamais, sem receber nada em troca.

15/05/2014


Nas minhas incontáveis fases e nos meus inúmeros jeitos – eu me entrego. Se eu quero, eu quero. Se não quero, simplesmente não quero. Não nego vontades e não insisto em tê-las. Me recuso a fingir e a falar quando não é preciso. Às vezes não demonstro, às vezes me tranco – mas no final me entrego. Não gosto de coisas fáceis, mas as muito difíceis me despertam preguiça. Não me prendo em beleza e nem em riqueza, não me prendo em status e nem em regras, eu respeito apenas as minhas vontades e os meus princípios. Um pouco egoísta e muito sonhadora, não gosto de cara feia e sorrir é meu lema. Mas quando a tristeza toma... Eu tento esvaziá-la e às vezes coloco os pés entre as mãos. Se só poderei ter o que posso possuir e não o que quero – eu tomarei por nenhum e com o tempo acharei outra coisa para conquistar. Gosto de jogos, mas confesso que depois de um tempo eles me enjoam. Perdoo fácil e não esquento a cabeça com erros e traições – sei que a vida trata de punir o que deve ser castigado. Me esforço para não guardar mágoas e dificilmente as guardo. Não gosto de pensar em coisas ruins, mas quebro a cabeça para entender a vida, a morte, os sonhos, as pessoas, os caminhos e as matérias. Leio apenas o que eu gosto e até onde eu quero. Assisto apenas aquilo que me interessa e confesso que não consigo me concentrar em frente a TV. Tenho preguiça de acompanhar seriados e novelas, prefiro filmes porque terminam mais rápido. O sabor de uma história para mim está no final, se não tiver um bom desfecho, eu não gosto. E o desfecho mais saboroso são os enigmas.

14/05/2014

Passei discutíveis longas horas pensando sobre quem eu realmente era. Tantas e tantas vezes nesses meus relativos poucos anos de vida eu tentei me definir. Tentei de todos os jeitos, em todas as fases, analisando todos os humores possíveis. E, bom.. Não consegui. Jamais consegui ter uma definição completa de mim. Aquilo pra dizer: é isso e ponto. Quem eu sou? Sem dúvida alguma essa é uma ótima pergunta, porém mais ótimo que isso seria eu conseguir respondê-la. Eu saberia tantos segredos.. Descobriria todos os porquês das minhas oscilações de humor – que não são poucas –, entenderia minhas rejeições, minhas afeições. Teria total conhecimento de cada sentimento e cada pensamento maluco que me cerca e me deixa confusa por tantas vezes. Ótimo! Tudo tão fácil assim.. Saber os motivos das minhas dúvidas, compreender e aproveitar melhor minhas alegrias. Não existiria nada melhor do que saber exatamente como agir, o que dizer e a hora exata de se calar. Eu poderia ser muito melhor em todos os sentidos, ser mais compreendida ao saber dizer em poucas e objetivas palavras quem eu realmente sou. Porém pra tudo existe o outro lado da moeda. Qual a graça de desvendar todo esse mistério? Entregar tudo assim, de bandeja, pra mim mesma? Deixa.. Me deixa continuar com as minhas imperfeições, confusões e minha mania de ser complicada, de gostar do incomum e principalmente de querer tudo de todos, agora.

29/04/2014

"Os olhos, ela viu, os olhos tinham mudado. Estavam parados, com uma coisa no fundo que parecia paz. Ou desencanto." CFA

17/04/2014

Admita.

Diga a verdade ao menos uma vez na vida: você se apaixonou pelos meus erros.

11/04/2014

Metade de mim sabe de tudo, outra metade não sabe como agir. 50% te quero intensamente, 50% ainda não. Metade acredito em você, metade duvido de mim. Metade acho que inventei esse amor, metade acho que foi você quem inventou. Metade sei que nos falta tempo, metade acho que o que falta mesmo é vontade. Metade quero muito te ver, metade acho que nem quero. Metade fico feliz de ouvir sua voz, metade fico triste por pensar que talvez seja a ultima vez. Metade quer ligar, outra metade se faz de durona. Metade fico feliz quando escrevo sobre ti, metade triste por achar que não deveria escrever nada. Sou 50% sua, os outros 50% ainda são meus. Metade espera ansiosamente que você ligue, metade acha que jamais vai acontecer. Metade quero te fazer feliz, metade quero ser feliz com você. Metade me imagino contigo, metade é melhor nem saber. Metade me passa segurança, metade me deixa insegura. Metade quero só seu abraço, metade quero mais que isso. Metade do dia eu penso em você, na outra metade acho que é loucura. Metade de mim quer não pensar nisso, a outra metade é cheia de esperança. Metade acha que você não me leva a sério, metade acredita em tudo que disse. Metade acho que pode dar certo, metade acho que não. Metade acho que seria bom tentar, metade acha melhor deixar pra lá. Metade depende de mim, metade de ti. Metade podemos ser felizes a outra metade também.

04/04/2014


Por te falar eu te assustarei e te perderei? 

Mas se eu não falar eu me perderei, e por me perder eu te perderia..

24/03/2014

Você me viciou, você quebrou meu coração em pedaços. Sim, você me tem. Você tem a batida. Sim, você me tem agora.

17/03/2014


Acabou a dor ou qualquer coisa do gênero. Não sei definir bem qual era o sentimento que eu tinha em relação a você, a nós ou a nossa relação depois de tudo que aconteceu. Dor? Saudade? Desejo? Carência? Paixão? Acho que falta, apenas falta. E se o problema dos desvios de caminho, das noites mal dormidas, dos textos repletos de tristeza e saudade, ou até mesmo das esperas intermináveis era a sua falta, o que eu faço agora que não sinto mais ela?

13/03/2014



Incertos são nossos amores, e por isso é tão importante sentir-se bem. Mesmo estando só.

11/03/2014

O que fazer quando o corpo tá cansado e a cabeça tá a mil?

08/03/2014


Estranho momento. Quando o que devia ser alívio, paz e tranquilidade revela-se angústia. Quando o que eu esqueci, deseja voltar a tona. Quando eu procuro e nada encontro. E a cabeça não para em nenhum segundo, vasculha todos cantos, que novamente se encontram vazios. Não gosto de perder a esperança, você sabe de toda a minha determinação. Porém hoje, cercada pela ausência que a cada dia se torna mais presente, procuro o que procurar. Experimentando ferozmente o desânimo dessa minha busca obscura e desiludida.

06/03/2014

E eu, justamente eu. Que recheava a mente de palavras e versos tão bem formulados. Eu que tinha tanto a dizer, que gritava ao mundo o que me afligia - e o que me encantava também. Terrivelmente estou tentando e remando com todas a forças pra não me perder entre essas frases feitas e tolas.

19/02/2014



Talvez eu esteja muito equivocada, mas tudo me parece tão frágil, inconstante, tão sensível, e, resultante disso tudo, tão passageiro. E, sinceramente eu não posso aceitar que isso também se vá com qualquer brisa de primavera que passa por aí. Penso e repenso sobre essas questões. Sobre essa situação na qual me encontro. Seria só eu passando por coisas do gênero? Outra pessoa poderia me servir como consolo. E falando em consolo, serve dizer que tudo é passageiro, independente da intensidade? Serve. Compensa dizer que as ilusões vêm, causam um estrago e se vão. Mas, se eu for pensar, eu perdi muito enquanto as ilusões causavam esse estrago. Sei que o acaso pode também ser culpado disso tudo. Sensibilidade, ilusões, decepções.. Tudo acumula e machuca fortemente. Mas isso não consola e eu não quero mais me lembrar dessas verdades. Mas também não quero a desilusão. Eu apenas quero não doer completamente enquanto a verdade tão bonita que eu conservei e cuidei com tanto carinho se desfaz em tão pouco tempo. Porque só de lembrar eu travo e faço do meu jardim de verdades bonitas, um muro. Um muro bem alto, pra não me prejudicar mais. Entretanto, talvez não existam verdades. Ou talvez não exista maneira para entendê-las. Talvez eu saia desse mundo com um pacote repleto de milhares de verdades doloridas que arderam a vida toda e que jamais se curaram por completo. Terminarei a vida tentando entender as causas? Provavelmente, porque eu só vivo tentando entender tudo. E, sinceramente, nem sei por que eu continuo nessa tentativa tantas vezes frustrada, se eu sei que no final a verdade vai aparecer – e vai doer com mais intensidade ainda – me fazendo sofrer novamente. Mas deixa pra lá, entremeio esse “talvez” que a vida introduz no meu universo de palavras, vou anotando e observando cada dia mais, que os anos passam e a gente cresce com uma visão de mundo que se modifica constantemente.. E nesse tempo a gente passa por boas e ruins. Talvez, novamente talvez, amanhã surja outra boa e a ruim de hoje me trará boas risadas.

02/02/2014



Preciso sim, preciso tanto... Alguém que aceite tanto meus sonos demorados quanto minhas insônias insuportáveis.

01/02/2014


O contrário de bonito é feio, de rico é pobre, de preto é branco, isso se aprende antes de entrar na escola. Se você fizer uma enquete entre as crianças, ouvirá também que o contrário do amor é o ódio. Elas estão erradas. Faça uma enquete entre adultos e descubra a resposta certa: o contrário do amor não é o ódio, é a indiferença.
O que seria preferível, que a pessoa que você ama passasse a lhe odiar, ou que lhe fosse totalmente indiferente? Que perdesse o sono imaginando maneiras de fazer você se dar mal ou que dormisse feito um anjo a noite inteira, esquecido por completo da sua existência? O ódio é também uma maneira de se estar com alguém. Já a indiferença não aceita declarações ou reclamações: seu nome não consta mais do cadastro.
Para odiar alguém, precisamos reconhecer que esse alguém existe e que nos provoca sensações, por piores que sejam. Para odiar alguém, precisamos de um coração, ainda que frio, e raciocínio, ainda que doente. Para odiar alguém gastamos energia, neurônios e tempo. Odiar nos dá fios brancos no cabelo, rugas pela face e angústia no peito. Para odiar, necessitamos do objeto do ódio, necessitamos dele nem que seja para dedicar-lhe nosso rancor, nossa ira, nossa pouca sabedoria para entendê-lo e pouco humor para aturá-lo. O ódio, se tivesse uma cor, seria vermelho, tal qual a cor do amor.
Já para sermos indiferentes a alguém, precisamos do quê? De coisa alguma. A pessoa em questão pode saltar de bung-jump, assistir aula de fraque, ganhar um Oscar ou uma prisão perpétua, estamos nem aí. Não julgamos seus atos, não observamos seus modos, não testemunhamos sua existência. Ela não nos exige olhos, boca, coração, cérebro: nosso corpo ignora sua presença, e muito menos se dá conta de sua ausência. Não temos o número do telefone das pessoas para quem não ligamos. A indiferença, se tivesse uma cor, seria cor da água, cor do ar, cor de nada.
Uma criança nunca experimentou essa sensação: ou ela é muito amada, ou criticada pelo que apronta. Uma criança está sempre em uma das pontas da gangorra, adoração ou queixas, mas nunca é ignorada. Só bem mais tarde, quando necessitar de uma atenção que não seja materna ou paterna, é que descobrirá que o amor e o ódio habitam o mesmo universo, enquanto que a indiferença é um exílio no deserto.

Martha Medeiros

15/01/2014


Foco, estar focado. Bem mais que estar ligado. Porque ligado nós geralmente estamos, e em muitas coisas. Mas quando estamos focados é diferente - a gente se entrega. Assim, de corpo e alma, e principalmente de alma. Nossos pensamentos, desejos, vontades, anseios, sonhos e até palavras tornam-se direcionados. E a gente começa a viver em função daquilo, nos apaixonamos, independente de ser por quem ou pelo que. Nos focamos nas metas, nas pessoas, nos momentos. Tornamo-nos pessoas determinadas. Mas, como em todas as coisas e situações, existem poréns e por vezes, toda essa determinação não vale a pena. Metas quase impossíveis, que mesmo sabendo que o impossível não existe, são metas que necessitam de esforços muitas vezes não compensatórios.. Ou pessoas das quais doamos até nossa alma e não há reciprocidade. Como lidar?

03/01/2014

Me deixa ser egoísta. Me deixa fazer você entender que eu gosto de mim e quero ser preservada. Me deixa de fora de suas mentiras e dessa conversa fiada. Eu sou uma espécie quase em extinção: eu acredito nas pessoas. E eu quase acredito em você. Não precisa gostar de mim se não quiser. Mas não me faça acreditar que é amor, caso seja apenas derivado. Não me diga nada. Não me olhe assim, você diz tanta coisa com um olhar. E olhar mente, eu sei! E eu sei por que aprendi. Também sei fingir das formas mais perversas e doces possíveis, sabia? Aprendi com você. Mas meu coração está rouco agora. GRAVE! Você percebe? Escuta só como ele bate, não é mais o mesmo. Não quero dizer que você passou, que a ilusão acabou, apesar de tudo ser um pouco verdade. O problema não é esse. Eu não me contento mais com pouco, eu tenho muito dentro de mim e não estou a fim de nada que não for recíproco.

05/12/2013

Poderíamos ser um só. Talvez apenas por alguns poucos instantes, mas poderíamos. Instantes que sem dúvida alguma marcariam. Que me trariam tardes, noites e manhãs com você no pensamento, e apenas você. Mas nós não iremos ser, não escolhemos isso para o nosso destino. Os motivos seriam relevantes? Não sei. É tudo tão relativo. Sei que você continuara sendo apenas você por mais muitos meses e eu continuarei a ser eu também, da forma como estamos hoje. Os dias irão passar, assim como o calor invadirá ainda mais nossos dias. Mas, jamais os nossos corações que estarão afastados um do outro. E, depois de tudo o que nos restará serão as lembranças dos olhares tímidos e perdidos que trocávamos, memórias que nos aguçaram ainda mais a saudade - saudade do que não vivemos, mas que poderíamos ter vivido. Talvez, com a mudança de estação muitas coisas mudem. Amores vem e vão, e, de coração espero que você encontre alguém que lhe deseje bem da maneira que eu te desejei. Porém, de uma coisa eu nunca esquecerei, e realmente espero que você também não esqueça - de tudo que poderíamos ter vivido juntos.

17/11/2013


Tenho medo de todas as minhas compulsões e manias feias. Mas, há uma que anda tremendamente me cansando. A minha compulsão terrível de terminar, quebrar em mil pedaços e de forma imediata qualquer relacionamento bonito que mal comece a acontecer. Por medo, talvez. Não sei definir quais os reais motivos que me levam a fazer isso. Mas destruir relacionamentos antes que cresçam tem se tornando rotina. Falta um pouco de esperança, de crença que dará certo. Termino assim, com a cara de quem não se culpa. Com muito requinte e recheado de textos fáceis no qual apenas mudam a face do felizardo. Formulo com um ar de experiência e tranqüilidade surreal um fim ainda mais bonito pra tudo isso. Crio motivos, razões para aquilo não continuar. Tudo isso pra que não me firam? Seria proteção? Tão errada, apenas isso.

03/10/2013

E tem o seguinte, meus amigos: não vamos enlouquecer, nem nos matar, nem desistir. Pelo contrario: vamos ficar ótimos e incomodar bastante ainda!

29/04/2013


Eu descobri que tentar não ser ingênua é a nossa maior ingenuidade e descobri que ser inteira não me dá medo, porque ser inteira já é ser muito corajosa..

08/01/2013

Na vida tudo tem um tempo pra passar
Pelo menos eu tentei
Pelo menos me esforcei pra ficar contigo
Hoje penso em te escrever
Penso em te encontrar
Penso em ter você
Penso em me afastar
Pelos menos eu tentei
E até que tentei demais
Pelo menos eu tentei chorar
 Mas acontece que a vida não me deixa desabar
Não vou beijar concreto
Tá tudo certo
Tá tudo em paz.